ALLOG BLOG

Informação, notícias e atualidades para
você ficar por dentro do seu mercado.

Assine e receba por email

Exportação de ponta a ponta: como funciona a venda para outros países

21 de janeiro de 2019

Exportações são os bens e serviços produzidos em um país e comprados por residentes de outro país. Se for produzido internamente e vendido para alguém em um país estrangeiro é uma exportação. As exportações são um item do comércio internacional. Quando o país exporta mais do que importa tem um superávit comercial. Quando importa mais do que exporta, tem um déficit comercial.

A primeira tarefa de uma empresa que pretende se engajar no processo de exportação é refletir sobre os possíveis resultados decorrentes da decisão de exportar. Também é importante verificar se o preço de exportação do produto é competitivo. E se o produto está inserido em alguma preferência tarifária. Perceber as diferenças entre mercados-alvo é apenas o estágio da identificação para o planejamento de exportação.

O outro estágio, onde a diferença entre o mercado doméstico e o internacional se torna visível, é na hora de definir qual será o marketing mix de exportação que sustentará e proporcionará o posicionamento de produto desejado.  Kotler (2000) define o mix de marketing como o grupo de variáveis controláveis de marketing que a empresa utiliza para produzir a resposta que deseja no mercado-alvo. O mix de marketing consiste em todas as ações com a intenção de influenciar a demanda do seu produto.

As possibilidades podem ser reunidas em três grupos de variáveis: produto – combinação de “bens e serviços” que a empresa oferece ao mercado-alvo; preço – a soma de dinheiro que os clientes devem pagar para obter o produto (leva em conta os custos e os fatores do mercado);  e praça – envolve as atividades da empresa que tornam o produto disponível para os consumidores-alvos, facilitando o processo de compra.

O que as empresas exportam

As empresas exportam bens e serviços onde elas têm uma vantagem competitiva. Elas também exportam coisas que refletem a vantagem comparativa do país. Os países têm vantagens comparativas nas mercadorias que têm uma capacidade natural de produzir. Por exemplo, o Brasil,  o Quênia, a Jamaica e a Colômbia têm o clima certo para cultivar café. Isso dá às suas indústrias uma vantagem na exportação de café.

A população da Índia é sua vantagem comparativa. Seus funcionários falam inglês e estão familiarizados com as leis inglesas. Essas habilidades lhes dá uma vantagem como trabalhadores de call center acessíveis. A China tem uma vantagem semelhante na fabricação devido ao seu padrão de vida mais baixo. Seus trabalhadores podem viver com salários mais baixos que os dos países desenvolvidos.

Exportação X crescimento

O Brasil possui um grande mercado interno, o que, sem dúvida, representou uma oportunidade e uma situação cômoda para muitas empresas que preferiram priorizar o mercado doméstico e não chegaram a se interessar pelas exportações. Entretanto, mesmo neste cenário, empresários brasileiros começam a considerar as exportações como uma decisão estratégica para o desenvolvimento dos negócios. Perceberam que, ao exportar, a empresa adquire um diferencial de qualidade e competência. Neste processo, ela deve adequar produtos aos padrões do mercado externo, ganhando competitividade.

A empresa que passa a exportar de forma sustentável obtém melhoria da imagem com fornecedores, bancos e clientes. Isso se reflete, também, em suas operações no mercado interno. Neste contexto, o comércio exterior adquire cada vez mais importância para as empresas que querem crescer de forma sustentável. Além disso, a diversificação de mercados também representa uma maior segurança com relação à crises que, temporariamente, podem surgir.

Assim, as exportações beneficiam o país como um todo.  Promove o ingresso de divisas, a geração e manutenção de emprego e renda, o aumento na qualificação dos recursos humanos e o crescimento do parque industrial e do universo empresarial.

Como a exportação afeta a economia

A maioria dos países quer aumentar suas exportações. Suas empresas querem vender mais. Se eles venderam tudo o que podiam para a população de seu próprio país, eles também querem vender no exterior. Quanto mais eles exportam, maior é sua vantagem competitiva. Eles ganham experiência na produção de bens e serviços. Eles também ganham conhecimento sobre como vender para mercados estrangeiros.

Os governos incentivam a exportação. As exportações aumentam os empregos, trazem salários mais altos e elevam o padrão de vida dos moradores. Como tal, as pessoas se tornam mais felizes e mais propensas a apoiar seus líderes nacionais.

As exportações também aumentam as reservas cambiais detidas no banco central do país. Os estrangeiros pagam as exportações em sua própria moeda ou em dólar americano. Um país com grandes reservas pode usá-lo para gerenciar o valor de sua própria moeda. Eles têm moeda estrangeira suficiente para inundar o mercado, o que reduz o custo de suas exportações em outros países.

Os países também usam reservas de moeda para administrar a liquidez. Isso significa que eles podem controlar melhor a inflação, que é muito dinheiro perseguindo poucos bens. Para controlar a inflação, eles usam a moeda estrangeira para comprar sua própria moeda. Isso diminui a oferta de dinheiro, fazendo com que a moeda local valha mais.

Maneiras de impulsionar a exportação

Existem três maneiras pelas quais os países tentam aumentar a exportação. Primeiro, eles usam o protecionismo comercial para dar uma vantagem às suas indústrias. Isso geralmente consiste em tarifas que aumentam os preços das importações. Eles também fornecem subsídios em suas próprias indústrias para reduzir os preços. Mas quando eles começam a fazer isso, outros países retaliam com as mesmas medidas. Essas guerras comerciais reduzem o comércio internacional para todos.

Os países também aumentam as exportações negociando  acordos comerciais e reduzindo o protecionismo comercial. A  Organização Mundial do Comércio  tentou negociar um acordo multilateral entre seus 149 membros. O chamado acordo de Doha quase teve sucesso, mas a União Europeia e os Estados Unidos se recusaram a eliminar seus subsídios agrícolas.

Como resultado, a maioria dos países baseou-se em acordos bilaterais  ou acordos comerciais regionais durante anos. Mas em 2015, o governo Obama negociou a Parceria Trans-Pacífico. Em 2017, o governo Trump desistiu. Mas os outros países concluíram o acordo sem os Estados Unidos.

A terceira maneira de impulsionar a exportação é reduzir o valor de suas moedas. Isso faz com que seus preços de exportação sejam comparativamente mais baixos no país receptor. Os bancos centrais fazem isso baixando as taxas de juros. Um governo também pode imprimir mais moeda ou comprar moeda estrangeira para aumentar seu valor. Países que tentam competir desvalorizando suas moedas são acusados de estar em guerras cambiais.

 

 

Veja também:

Baixe o E-book de Incoterms  que montamos para você!

Trocar versão