Relação entre Brasil e Rússia vai além do futebol

Compartilhe esse artigo

Em diferentes estados, a Allog International Transport ajuda a incrementar a balança comercial movimentando produtos químicos, equipamentos agrícolas, maquinário, glicerina e alimentos para a Rússia

Que brasileiro é apaixonado por futebol, ninguém duvida. Faltando pouco menos de um ano para a bola rolar novamente em uma Copa do Mundo, saiba que as relações entre Brasil e Rússia – país-sede do mundial de 2018 – vão muito além das quatro linhas. Com uma corrente comercial que gira em torno de US$ 6,6 bilhões anuais, o Brasil é o maior fornecedor de alimentos e produtos agrícolas para o mercado russo.

Em diferentes estados do Brasil, a Allog International Transport ajuda a incrementar esta balança comercial movimentando produtos químicos, equipamentos agrícolas, maquinário, glicerina e alimentos para a Rússia. O governo federal também quer aumentar esta relação comercial. Em junho deste ano, o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, assinou um protocolo que agiliza o desembaraço aduaneiro de produtos brasileiros que utilizam o Sistema Geral de Preferências (SGP) russo. O mais importante, na avaliação do ministro, é que a ferramenta trará redução do gasto com estocagem na fronteira e outros valores cobrados dos exportadores brasileiros.

Atualmente, mais de 2,7 mil produtos brasileiros podem se beneficiar de preferências tarifárias oferecidas pelo SGP russo, o que alcança mais de 50% das exportações brasileiras para aquele mercado. Segundo Diego Lemke, coordenador de Produto da Allog, a empresa está  monitorando as demandas no comércio com a Rússia para atender a logística internacional de seus clientes para este mercado.

O Brasil importa da Rússia produtos manufaturados, semimanufaturados e básicos. O governo russo, por sua vez, quer também intensificar a cooperação e o comércio com o Brasil em áreas nas quais aquele país tem maior competitividade, como petróleo, gás e energia nuclear.

O Brasil, a Rússia e a Copa do Mundo:

– A Copa do Mundo FIFA de 2018 será a 21ª edição deste evento esportivo, um torneio internacional de futebol masculino organizado pela Federação Internacional de Futebol (FIFA), que ocorrerá na Rússia, anfitriã da competição pela primeira vez.

– Esta edição da Copa do Mundo, juntamente com a Universíada de Verão de 2013 e os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, que também foram realizados em território russo, são os primeiros eventos esportivos de importância mundial realizados no país desde os Jogos Olímpicos de Verão de 1980.

– Não é preciso visto para viajar para a Rússia.

– O passaporte precisa ter validade mínima de seis meses.

– A seleção russa de futebol surgiu após a dissolução da Seleção da CEI, criada apenas para disputar a Eurocopa de 1992, para a qual a seleção da URSS, extinta juntamente com o país no ano anterior, já estava classificada.

– Desde o colapso do comunismo, os russos não conseguem obter os mesmos resultados da antiga URSS no futebol: foram eliminados na primeira fase nas três Copas que disputaram (1994, 2002 e 2014) e não se classificaram mais para as Olimpíadas.

– Brasil e Rússia já se enfrentaram cinco vezes. A seleção brasileira venceu três dos jogos e empatou dois.

– Devido à sua grande extensão, a Rússia tem variações de clima. Durante o período da Copa (junho e julho) as temperaturas ficam amenas, em média 17°C.

– O período da Copa do Mundo coincide com “as noites brancas de São Petersburgo”, quando o dia encontra com a noite e quase não escurece.

– A maior parte dos locais aceita pagamento em euro ou dólar, mas é possível também fazer a conversão para rublo (moeda local) nas cidades russas.

 

VEJA TAMBÉM:

 

Baixe seu E-Book gratuito Dicionário do COMEX – versão 2018

http://conteudo.allog.com.br/e-book-dicionario-do-comex

#AllogBrasil

Mais artigos

vinhos do leste europeu
Geral

Vinhos do leste europeu: cresce importação e mercado para o Brasil

Ofuscados por mercados mais conhecidos de outras regiões do mundo ou desprezados por diferentes motivos geopolíticos e econômicos, vinhos do leste europeu começam a despontar como novidade nas gôndolas de supermercados e casas especializadas e incrementam a pauta de importação da bebida. Para apreciadores que procuram diferentes sabores e uvas, a Europa Oriental é uma

Linkedin: como gerar conteúdo de valor

Gerar conteúdo relevante, relacionar-se com o mercado e estar atento à novidades que envolvem carreira, trabalho e Comércio Exterior motivaram Jonas Vieira a criar um perfil no LinkedIn. Atuando desde abril deste ano na geração de conteúdos, o escritor tem se posicionado como referência para assuntos de importação e tem se destacado no segmento com

Rolar para cima
Previous
Next