Acordo de Assistência Mútua em Matéria Aduaneira Brasil-China é aprovado pelo Senado Federal

Compartilhe esse artigo

Brasília – O Senado Federal aprovou na última quarta-feira (10) o Acordo de Assistência Mútua em Matéria Aduaneira que tem como principal objetivo promover a cooperação entre as Administrações Aduaneiras dos dois países, visando assegurar a correta aplicação da legislação, a segurança na logística do comércio internacional, a prevenção e a investigação e a repressão a ilícitos aduaneiros. Para a conclusão de sua internalização, o documento aguardará pela edição do decreto presidencial.

De acordo com a Receita Federal, a celebração desse tipo de acordo reforça a crescente tendência de cooperação entre países, principalmente após compromissos assumidos no âmbito da Organização Mundial de Comércio por meio Acordo de Facilitação do Comércio, assim como contribui para a modernização de métodos e processos aduaneiros através de trocas de experiências entre as partes envolvidas.

O Acordo em questão admite o intercâmbio de informações aduaneiras relativas, principalmente nos casos em que possa envolver dano substancial à economia, à saúde pública, incluindo a segurança da cadeia logística do comércio internacional ou outros interesses vitais dos dois países. A troca de informações para fins aduaneiros tem se tornado cada vez mais intensa e justificada no contexto da globalização e facilitação de comércio, pois fortalece os sistemas de gestão de riscos alfandegários, fazendo com que os trâmites sejam mais ágeis e seguros.

Ainda segundo a Receita Federal, a aprovação desse acordo é muito importante para o Brasil na medida em que envolve seu maior parceiro comercial, que representou no ano de 2017 cerca de 22% (U$ 47,4 bilhões) das exportações e 18% (U$ 27,3 bilhões) das importações brasileiras.

Brasil-China

 

Por meio desse acordo, a Receita Federal poderá utilizar informações no combate à fraude, assim como poderá firmar um Acordo de Reconhecimento Mútuo (ARM) entre seus programas de Operador Econômico Autorizado.

Além da conclusão dos trâmites legislativos relacionados ao Acordo de Cooperação Mútua Brasil-China, os dois países vêm reforçando o relacionamento no campo aduaneiro de forma bilateral e multilateral. Nesta semana, 25 auditores-fiscais embarcaram para a China, a convite desse país, a fim de trocarem experiências, durante 20 dias, sobre temas técnicos de interesse mútuo das respectivas Aduanas. Trata-se de iniciativa relevante, devido ao comércio intenso entre os dois países.

 

No que se refere à iniciativas multilaterais, Brasil e China também interagem no Fórum dos BRICS. Recentemente, as Aduanas desses cinco países se reuniram na África do Sul para tratar de projetos e iniciativas que fortaleçam o controle aduaneiro e facilitem o comércio internacional no âmbito dos BRICS. Essas ações concretizam o interesse mútuo do Brasil e da China em estreitar os laços de amizade entre as duas nações.

(*) Com informações da Receita Federal

Fonte: Comex do Brasil

 

Veja Também:

Baixe seu E-Book gratuito Dicionário do COMEX – versão 2018

Brasil-China

 

Brasil-China

Mais artigos

Blog

Carga de grande dimensão: a logística da Coreia do Sul para o Brasil

O Porto de Vitória, no estado do Espírito Santo, é o destino de uma carga de grande dimensão com mais de 70 toneladas embarcada na Coreia do Sul, que chegará no Brasil em maio. Movimentada em um navio “break bulk” pela Allog, empresa especializada em logística internacional, a carga projeto é composta de peças e

beach tennis
Geral

SC sedia 4º Torneio de Beach Tennis Arena Criciúma/Allog Group

Atletas de beach tennis de diferentes idades estarão em Criciúma (SC), de 21 a 23 de outubro, para disputar o 4º Torneio de Beach Tennis Arena Criciúma/Allog Group. A expectativa é que o evento concentre entre 400 e 450 jogadores em 14 categorias, divididas nas modalidades feminina, masculina e mista. Os jogos serão disputados nas

Rolar para cima
Previous slide
Next slide