Exportação de tabaco: Brasil se mantém na liderança mundial desde 1993

Compartilhe esse artigo

A exportação de tabaco brasileiro alcançou 549 mil toneladas em 2019, com uma movimentação financeira de US$ 2,14 bilhões, consolidando o Brasil como a potência mundial no setor. Do total, 85% das exportações de tabaco são feitas pelo Porto de Rio Grande, no Rio Grande do Sul. Os outros 15% saem de portos localizados no litoral de Santa Catarina e do Paraná.

Os números finais revelaram o incremento de 7,6% em dólares e de 19% no volume de tabaco embarcado, em relação ao ano anterior (2018). “Entramos em 2020 com expectativa de manter os bons números, sustentáveis em todos os sentidos. Continuamos comprometidos com esse propósito e atentos a outras questões que impactam a competividade brasileira. Este é o caso do contrabando”, destaca o presidente do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco), Iro Schünke.

De acordo com Miguel Brochetto, da Allog Rio Grande do Sul, a região sul do país é destaque na produção e exportação de tabaco. “Hoje a Allog participa nas movimentações do setor fumageiro, contribuindo ativamente nos processos logísticos de exportação de tabaco através do modais marítimo, aéreo e rodoviário”, reforça. Presente em 47% dos municípios dos três estados do Sul, a produção de tabaco é uma tradição centenária. O setor tem um fator determinante: a alta rentabilidade em pequenas áreas. Isso viabiliza a boa qualidade de vida dos produtores e sua famílias.

Confira também EXPORTAÇÃO DE PONTA A PONTA: COMO FUNCIONA A VENDA PARA OUTROS PAÍSES

No Rio Grande do Sul, o produto é cultivado por 75 mil produtores em 227 municípios gaúchos. Na safra 2018/2019, foram produzidas 312 mil toneladas em 142 mil hectares, gerando R$ 2,9 bilhões de receita aos produtores do Estado. “O tabaco representa mais de 10% das exportações gaúchas. Ele é, historicamente, o segundo produto mais embarcado, atrás somente da soja. O setor mantém o Brasil em destaque no cenário mundial, ocupando as posições de 2º maior produtor mundial e, desde 1993, de maior exportador de tabaco do mundo”, comenta Iro Schünke, presidente do SindiTabaco.

exportação de tabaco

Segundo Ivan Bonetti, diretor de Políticas Agrícolas e de Desenvolvimento Rural da Secretaria da Agricultura do Rio Grande do Sul, o tabaco tem uma grande relevância para a balança comercial gaúcha, ocupando o quinto lugar na lista de principais produtos do Estado. “Cabe destacar ainda que o levantamento realizado pela Emater apontou que o tabaco é a cultura que mais mantém o produtor na propriedade. Consequentemente, é a que mais evita o êxodo rural”, destaca.

Principais importadores do tabaco brasileiro

1º) Bélgica: US$ 526 milhões

2º) China: US$ 383 milhões

3º) Estados Unidos: US$ 189 milhões

4º) Indonésia: US$ 106 milhões

5º) Rússia: US$ 77 milhões

6º) Alemanha: US$ 67 milhões

7º) Turquia: US$ 60 milhões

exportação de tabaco

Mais artigos

importação têxtil
Novidades

5 dicas para planejar sua importação têxtil e ser mais competitivo

A participação de produtos importados no consumo brasileiro de vestuário  tiveram aumento em 2017 tanto na quantidade (22%, com 1,34 mil toneladas) quanto nos valores (21%, com US$ 5,1 bilhões), segundo estimativa da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit). Para ser bem sucedida, no entanto, a importação têxtil precisa ser bem planejada.

Blog

Allog passa por recertificação da ISO 9001 e conquista versão 2015

O ano de 2018 começou com uma ótima notícia para a Allog International Transport: a recertificação da ISO 9001, agora na versão 2015. Na prática, isso comprova que a empresa vem cumprindo todas as normas de qualidade estabelecidas desde 2012 quando foi certificada pela primeira vez na versão 2008. A ISO 9001 é uma norma

Rolar para cima
Previous slide
Next slide