Brunello Di Montalcino: o mais extraordinário vinho da Itália

Compartilhe esse artigo

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

O Brunello di Montalcino é um dos mais extraordinários e raros vinhos tintos da Itália e do mundo. Produzido com um tipo de sangiovese toscano local chamado Brunello, é notável por ter bagas de pele mais espessas. Por isso, a Brunello produz vinhos com sabores de frutas excepcionalmente ousados, alto teor de tanino e alta acidez. A fruta é um destaque para a popularidade duradoura de Brunello di Montalcino, mas é os taninos e acidez que prolongam a vida deste vinho para atingir a perfeição uma década depois. Vale a pena a espera.

Até o fim da Segunda Guerra Mundial, Biondi Santi era o único produtor a engarrafar Brunello di Montalcino com este nome, que foi criado pela família. O vinho é obrigado a ser envelhecido por um período mínimo de cinco anos antes do lançamento. Na maioria dos Brunellos, você notará duas escolas de pensamento usadas para a rotina de envelhecimento destes vinhos:

Método tradicional: Alguns produtores preferem o método tradicional de usar barricas de carvalho eslavo (chamadas botte do nordeste da Croácia). Os vinhos desenvolvem mais sabores de frutas secas, couro e flores e têm um longo potencial de envelhecimento.

Método moderno: Tomando emprestadas inovações da França em Bordeaux, alguns produtores usam mais barris franceses novos (chamados barriques). Estes encorajam o desenvolvimento de sabores de frutas pretas, chocolate, açúcar mascavo e baunilha. Como a exposição ao oxigênio é aumentada devido à área de superfície do carvalho ao vinho, você pode esperar que o método moderno de vinhos Montalcino esteja pronto para beber mais cedo do que os vinhos tradicionais.

Nota máxima

Recentemente, o respeitado Master of Wine Nicholas Belfrage conferiu nota máxima para a safra 1891. Ou seja, um vinho com mais de 100 anos de idade. Os vinhedos “Il Greppo”, de Biondi Santi, possuem uma das mais privilegiadas localizações da Toscana. Isso resulta em vinhos tintos únicos que demandam anos para mostrarem todas suas qualidades e que figuram entre os maiores e mais famosos vinhos do mundo.

O celebrado Brunello di Montalcino Biondi Santi 1955 foi eleito um dos “12 Melhores Vinhos do Século” pela Wine Spectator. Ele está o lado de maravilhas como Château Margaux 1900, Hermitage La Chapelle 1961 e Penfolds Grange 1955.

O vinho da safra de 1955 permanece sendo o melhor. Possui uma opulência de frutas maduras e uma elegância de taninos aveludados que, mesmo atualmente, poucos dos melhores vinhos da Toscana podem equiparar. Para o inglês Michael Broadbent, considerado o palato mais experiente do mundo, os Brunello di Montalcino de Biondi Santi podem ser comparados aos melhores vinhos de Bordeaux.

O mito Brunello

Ferruccio Biondi Santi foi o criador do Brunello di Montalcino e o primeiro a engarrafá-lo com este nome, em 1888. Trabalhou arduamente nas vinhas e na adega para mostrar que só as uvas Brunello podiam ser usadas para um vinho que envelheceria durante muito tempo.

Os anos 1980 viram o começo de uma tendência de comprar vinícolas em Montalcino. A explosão da fama Brunello, no entanto, começou efetivamente em 1995. Neste ano, o conhecimento e a capacidade de produzir vinhos de excelência absoluta se enraizaram em um nível global. Isso resultou na substituição parcial dos primeiros vinhedos plantados nos anos 60, aumentando a densidade por hectare de 3.000 para 5.000 videiras. Hoje existem cerca de 250 vinícolas de Brunello. Estima-se que cerca de 1 bilhão de euros de negócios se baseie na marca Brunello di Montalcino.

70% da produção é exportada

Em 2018, foram produzidas 8 milhões de garrafas de Brunello. As exportações se mantiveram firmes em 70% da produção total, com os Estados Unidos no topo da lista. O país é seguido pela Europa, mercado asiático, Canadá e América Central e do Sul. No ano, o volume de negócios do setor vitivinícola de Montalcino atingiu cerca de 160 milhões de euros.

A região também registrou aumento de 10% nos fluxos turísticos, em comparação aos 1,5 milhão de visitantes do ano anterior. E um aumento de 20% de hospedagens, em comparação com o total de 150 mil em 2017. Embora os Estados Unidos ainda seja o principal comprador de Brunello di Montalcino, a penetração vem crescendo significativamente no mercado asiático, que já respondeu por 15% do total das exportações.

Acesse nossa promoção Logística do Vinho e concorra a prêmios toda semana: @AllogBrasil

PATROCÍNIO

Mais artigos

Embarque de vinhos: a manta térmica e as medidas de contêiner

Para programar o embarque de vinhos, é sempre importante analisar se a quantidade de garrafas do pedido correspondem aos limites dos contêineres de 20’dry & 40’dry. Cada embarque tem suas particularidades e deve ser analisado por um profissional especializado. Este buscará a melhor solução logística para o transporte da bebida. Para lhe auxiliar, pontuamos abaixo

Redução na oferta de contêineres vazios desafia mercado exportador

Com a redução no volume de importações no Brasil, em meio à pandemia e seus impactos sobre a economia global, os exportadores do país têm um desafio extra a ser vencido: a redução na oferta de contêineres vazios. O problema pode impactar nas exportações brasileiras, que atualmente estão em alta. O aumento do volume das

Rolar para cima
Previous
Next