Cargas prioritárias no frete aéreo: você sabe quais são?

Compartilhe esse artigo

Você sabia que há cargas prioritárias no frete aéreo quando o assunto é transportar mercadorias de avião? Produtos transportados por via aérea normalmente têm maior valor agregado, são sensíveis ao tempo ou demandam um tempo de entrega reduzido para atender a produção just-in-time.

cargas prioritárias no frete aéreo

Produtos farmacêuticos, coleções de moda, amostras de produção, bens de consumo eletrônicos, produtos agrícolas, flores e frutos-do-mar perecíveis são alguns dos itens que demandam frete aéreo.

O mercado aéreo transporta mais de US$ 6 trilhões em mercadorias anualmente. Isso representa, cerca de, 35% do comércio mundial em valor. Durante a pandemia da Covid 19, a carga aérea representou um terço da receita das companhias aéreas.

Como são definidas as cargas prioritárias no frete aéreo?

Vanessa Silva, analista de produtos aéreos do Grupo Allog, explica que, quando se fala em prioridade de utilização do espaço na aeronave, a ordem é definida da seguinte forma:

1) Combustível
2) Bagagem dos passageiros em caso de serviço PAX (aeronave passageira)
3) Materiais da companhia aérea necessários para a operação do voo

Feito isto, a prioridade de embarque se dá por meio do serviço escolhido pelo contratante do frete aéreo. Se a companhia oferecer a disponibilidade de transportar produtos perecíveis, estes sempre terão prioridade sobre outros tipos de embarque.

cargas prioritárias no frete aéreo

>>> Leia também: Como obter a cotação de frete rapidamente

“A maioria das empresas oferece o serviço express como prioridade e depois o serviço standard. No serviço express, dificilmente uma carga ficará no chão, mas, se necessário, vale a ordem do tipo de mercadoria. Geralmente a carga seca (carga geral, partes e peças, entre outras) estará por último na prioridade”, pontua Vanessa.

Uma carga corre o risco de ficar em terra caso o volume de malas dos passageiros seja maior que o previsto?

Fatores como número de passageiros, volume de bagagem ou quantidade de combustível necessário para um determinado trecho podem determinar se uma carga embarca ou não, mesmo em um voo já programado. O combustível é determinante, principalmente quando é necessário alterar a rota do avião por um trajeto mais longo. Isso faz com que a companhia aérea determine a retirada de alguma carga para manter a eficiência e segurança do voo.

Caso o planejador (planner) do voo já tenha a informação de que não será possível embarcar toda a mercadoria reservada, a carga permanece no armazém aguardando o próximo booking. Já se a carga for cortada do voo após paletizada ou barrada por não conformidade operacional, ela ficará na linha da companhia aérea aguardando regularização ou o voo seguinte.

Há algum tipo de mercadoria que não pode ser transportada em voos de passageiros?

A exemplo do frete marítimo, o frete aéreo segue uma série de recomendações de segurança. As normas são definidas pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA na sigla em inglês) e atualizadas anualmente no manual de Dangerous Goods Regulations (DGR).

Atualmente, limitações da DGR definem que alguns tipos de carga só podem embarcar em aeronaves cargueiras. Outras são proibidas de serem transportadas no modal aéreo. Além disso, algumas companhias áreas podem estabelecer as próprias limitações para cargas específicas.

cargas prioritárias no frete aéreo

Além dos procedimentos junto à Receita Federal, cada companhia aérea tem seu próprio procedimento de segurança, que está geralmente vinculado à verificação da embalagem. Caso não seja possível verificar o conteúdo pelo raio-X, é solicitado uma inspeção física e, se na vistoria não seja possível identificar o conteúdo, o embarque é recusado e a mercadoria devolvida ao cliente.

Quer saber mais sobre cargas prioritárias no frete aéreo e normas que regem este mercado?

cargas prioritárias no frete aéreo

Mais artigos

Incoterm EXW
Blog

Incoterm EXW – Entenda as responsabilidades

No incoterm EXW a mercadoria é colocada à disposição do comprador no estabelecimento do vendedor ou em outro local nomeado (fábrica, armazém, etc.), não desembaraçada para exportação e não carregada em qualquer veículo coletor. Este termo representa obrigação mínima para o vendedor. O comprador arca com todos os custos e riscos envolvidos em retirar a

Mercado global de flexitanks deve crescer 14% ao ano até 2026

A crescente demanda global pelo uso de flexitanks, aliada às preocupações com a portabilidade de líquidos, é um fator que tem impulsionando o seu uso no transporte de líquidos não perigosos. Vantagens competitivas como custo-benefício, portabilidade e facilidade de manuseio são fatores apontados pelas mais recentes pesquisas para justificar o aumento da demanda por flexitanks

Rolar para cima
Previous
Next