Vanessa Pierozan: interação com diferentes culturas é um dos principais legados do Comex

Compartilhe esse artigo

A sorte de ter ingressado no mercado especializado no segundo semestre da faculdade de Comércio Exterior fez toda a diferença na minha carreira. A escolha por atuar na área não foi tão simples. Tive muitas dúvidas na época, mas logo nas primeiras disciplinas da faculdade me identifiquei muito com as atividades do Comex. Quando comecei a atuar profissionalmente, então, tive a certeza de que havia feito a escolha certa.

Vanessa Pierozan

Sou formada pela Universidade de Caxias do Sul (UCS) e pós-graduada em Planejamento e Gestão Estratégica pela Uninter, e em Marketing, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atualmente, sou Gerente de Exportação e Logística da SLC Agrícola, onde iniciei há 10 anos como Analista de Exportação.

Antes de atuar na logística do agronegócio, no entanto, iniciei no ramo moveleiro, em um pequeno fabricante 100% exportador. Trabalhei para uma empresa da Inglaterra, desenvolvendo fornecedores no Sul do Brasil, onde tive a oportunidade de participar de minhas primeiras experiências no exterior.

Ao longo da carreira, atuei em toda a parte de execução, o que inclui desde contratação do frete, acompanhamento de deadlines e documentação, até participações em feiras internacionais, negociações de vendas e nas contratações de fornecedores. Como gestora, os desafios passaram e ser mais voltados ao desenvolvimento de equipe e de processos. Desenvolvemos novos canais de escoamento de cargas, fiz parte do programa de troca de ERP e, mais recentemente, trabalhamos na aquisição de um grande grupo empresarial.

Acredito que um dos principais desafios do profissional de Comex é manter-se atualizado, não somente com questões normativas e tecnológicas, mas com tudo o que acontece de relevante no mundo. Além disso, é importante ter a mente sempre aberta para novas possibilidades e novas formas de fazer o usual.

Também gosto muito da possibilidade de interação com públicos de culturas diferentes. Nosso segmento proporciona um constante aprendizado, seja em relação a pessoas, normativas ou processos, o que não nos deixa entrar na zona de conforto.

Penso que as relações comerciais são interdependentes e ultrapassam todas as fronteiras. A tecnologia nos auxilia dia após dia a estreitar laços com quem está do outro lado do globo. Todo profissional dedicado, que gosta de desafios e novos aprendizados, tem empatia pelos demais e é resiliente, tem espaço para desenvolvimento no Comex.

>>> Confira também: Dedicação ao transporte aéreo define carreira de Margarete Valeck.

 

Mais artigos

Doação de Sangue – Captação para doadores!

A captação é uma atividade voltada ao desenvolvimento de campanhas que objetivam conscientizar a população quanto à importância da doação de sangue. O trabalho, volta-se para assegurar a quantidade necessária de doadores e aprimorar o perfil das doações, garantindo a elevação de qualidade do sangue coletado e transfundido. A maior ferramenta de trabalho na captação

Brunello tradicional X moderno

Um Brunello di Montalcino é obrigado a ser envelhecido por um período mínimo de 5 anos antes do lançamento (6 para Riserva). Na maioria dos vinhos Brunellos, você começará a notar duas escolas de pensamento usadas para a rotina de envelhecimento com os vinhos Brunello di Montalcino: Método Tradicional Alguns produtores preferem o método mais

Rolar para cima
Previous
Next