Exportação de barcos é alternativa para fabricantes nacionais

Compartilhe esse artigo

A exportação de barcos está ajudando a impulsionar as vendas dos estaleiros brasileiros e encontram em Itajaí, no litoral de Santa Catarina, o ambiente adequado para a movimentação deste tipo de carga. Carlos Alexandre Souza, gerente de Projetos e Cargas Especiais da Allog, aposta numa retomada de movimentação deste tipo de embarque de forma gradativa e contínua.

exportação de barcos

A Allog foi a responsável por toda a operação logística de exportação de uma embarcação de quase 18 metros de comprimento. A movimentação do barco, com destino a Miami, Estados Unidos, foi realizada nos últimos dias. A mercadoria é avaliada em US$ 1,1 milhão. O operador logístico é uma das empresas com maior know how na movimentação deste tipo de carga no país.

Dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços indicam que Colômbia (69%), Uruguai (19%) e Paraguai (12%) foram os principais mercados para a exportação de barcos produzidos no Brasil de janeiro a junho deste ano. De acordo com dados da Associação Brasileira dos Construtores de Barcos e seus Implementos (Acobar), as regiões Sul e Sudeste concentram mais de 85% dos estaleiros. O destaque fica para os estados de São Paulo (35% do total), Santa Catarina (21%) e Rio de Janeiro (14%).

A região Sul abriga um dos mais tradicionais e ativos polos náuticos do Brasil. Também se destaca por apresentar a segunda maior concentração de estaleiros e fabricantes de equipamentos e acessórios do mercado nacional. A região abriga diversas estruturas de apoio, como iate clubes, garagens náuticas, hotéis, empreendimentos imobiliários e marinas de alto padrão.

Logística especializada

A movimentação logística na exportação de barcos de lazer precisa ser extremamente criteriosa. É necessário identificar os melhores serviços marítimos e avaliar os terminais que possuem a melhor infraestrutura e experiência para içamentos. Além disso, é importante obedecer às regras de legislação fitossanitária (principalmente quando utilizado madeira nos berços). Também é fundamental realizar a coordenação dos agentes envolvidos e ter conhecimento sobre peação. A peação é responsável pela segurança da embarcação durante os movimentos de içamento e travessia marítima.

Para realizar a movimentação é preciso obedecer a alguns critérios como coletar o barco no estaleiro com uma prancha rebaixada. Também é necessário descarregar o conjunto no terminal portuário e acoplar berço e barco; além de efetuar lashing no conjunto. Após atracação do navio, é preciso preparar a estrutura que irá receber o barco no porão.

Carga de Projetos

A divisão de cargas de projetos da Allog atua para administrar e transportar cargas que necessitam de uma atenção diferenciada. O setor movimenta, por exemplo, maquinários com dimensões OOG com excessos de largura e altura na importação e exportação. Também atende estaleiros para a  exportação de iates de luxo para o mercado da América do Sul e Estados Unidos, entre outros.

Conforme Carlos Alexandre Souza, a empresa busca soluções específicas para cada exportação de barcos, disponibilizando operações com navios porta-contêiner, break bulk e ro-ro. Dependendo da carga, o planejamento também passa pela logística rodoviária ou operações em voos charter no modal aéreo. “Acompanhamos todo o processo desde a coleta da carga até a entrega no destino”, destaca.

Com base em uma estrutura global, a Allog conta com representantes em todas as origens e destinos. “Isso possibilita ofertar a mesma qualidade de serviços, centralizando e transmitindo as informações de forma personalizada a cada cliente”, explica.

Confira outros conteúdos sobre exportações de barcos de lazer em nosso barco aqui.

Exportação de barcos

Mais artigos

Blog

O que é IMO 2020 e o que muda com as regras de emissão de enxofre

Você sabe o que é IMO 2020 e o que muda com as novas regras de emissão de enxofre nos navios? A regra global que reduzirá significativamente as emissões nocivas de óxidos de enxofre por parte da frota mercante mundial entrou em vigor no dia 1º de janeiro de 2020. Conhecida como IMO 2020, a

Geral

Alta no consumo de cervejas gera maior importação de garrafas de vidro

Você sabia que a importação de garrafas de vidro está crescendo no Brasil? A escassez do produto para o mercado cervejeiro do país e o aumento do consumo da bebida nos últimos meses está levando as empresas do setor a importarem mais vasilhames para atender a demanda. Maiara Córdova, gerente de produto de importação marítima

Rolar para cima
Previous slide
Next slide