Pêra Manca: o vinho que animou navegadores

Compartilhe esse artigo

Você já ouviu falar do vinho Pêra Manca?  A história da importação do vinho no Brasil está diretamente ligada à chegada dos portugueses, em abril de 1500. Os historiadores estimam que os primeiros vinhos portugueses, produzidos com uvas plantadas ao longo dos vales do Sado e do Tejo, datem de pelo menos 2.000 a.C. e que no século XII d.C. Portugal já exportava barris da bebida para a Inglaterra.

Pêra Manca

Diante desse fato, não é de estranhar que, em 1500, as caravelas vindas ao Brasil tenham trazido, segundo reza a lenda, mais de 65 mil litros de vinho. Esta poderia ser definida como a primeira importação não oficial do produto no país. A bebida servia para cozinhar e higienizar os alimentos, hidratar e dar ânimo aos marinheiros das embarcações. Também era usada para a eucaristia a bordo. A coroa tinha uma ligação íntima com a igreja naquele tempo.

Caravelas abastecidas

Segundo reportagens, o vinho que enchia as barricas das caravelas da esquadra de Pedro Alvares Cabral era o Pêra Manca. Atualmente, a Fundação Eugénio de Almeida dedica a marca aos seus vinhos de exceção. A sua qualidade faz do Pêra Manca um vinho de referência no mercado português e também nos mercados internacionais. 

Fama e tradição 

De acordo com a tradição, o nome de Pêra Manca deriva do toponímica “pedra manca” ou “pedra oscilante”. Trata-se de uma formação granítica de blocos arredondados em desequilíbrio sobre rocha firme. Já o vinho português Pêra Manca remonta à Idade Média. A fama do Pêra Manca permitiu que a bebida fosse incluída em muitas naus da Índia no tempo dos descobrimentos ao redor do mundo.

Acredite-se ou não em tudo isso, é certo que há uma longa história para ser absorvida em cada taça desse vinho de exceção, elaborado desde 1990 pela Fundação Eugênio de Almeida.

Pêra Manca

Mais artigos

Blog

Exportação de cerâmica: entenda a logística internacional do segmento

O Brasil é um dos grandes protagonistas internacionais da exportação de cerâmica. Ele ocupa a terceira colocação no ranking mundial de produção e consumo e é o sexto no ranking das exportações. Os dados são do Ceramics Of Brasil, projeto setorial da Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimentos, Louças Sanitárias e Congêneres (Anfacer),

pesquisa de satisfação de clientes
Blog

Como tirar melhor proveito das pesquisas de satisfação?

O que as empresas têm a ganhar com o processo de pesquisa de satisfação? O feedback necessário e simples do cliente, a perspectiva de quem está do outro lado e a experiência de construir algo novo e melhorado em colaboração ao próprio negócio. Quem conhece o que o cliente pensa e deseja sai na frente,

Rolar para cima
Previous slide
Next slide