Valorização profissional e benefícios inspiram colaboradores da Allog

Compartilhe esse artigo

A cultura organizacional de uma empresa é um de seus valores mais fortes e evidentes junto ao mercado. Certificada pelo Great Place To Work (GPTW) com 93% de satisfação entre o quadro de colaboradores, a Allog desenvolve a cultura de valorização profissional da equipe e a busca contínua de um clima organizacional pautado em credibilidade, orgulho e respeito. Por conta disso, é anualmente reconhecida pela eficiência dos serviços prestados.

valorização profissional

O programa Great Place To Work foi criado para reconhecer organizações que aplicam a valorização profissional. Seu objetivo é mostrar o nível de satisfação dos colaboradores com diversos fatores da empresa. Segundo o estudo, quando a equipe está satisfeita, o nível do trabalho prestado aumenta e gera mais confiabilidade aos clientes. Estes, por sua vez, serão amparados por profissionais mais motivados.

No processo de certificação, o GPTW considera o clima organizacional, os comentários dos funcionários e práticas culturais das organizações e de gestão de pessoas. Dentre os critérios avaliados estão a qualidade de vida, perspectiva de crescimento e relacionamento.

Na Allog, além dos benefícios legais, o objetivo é fazer com que as pessoas se sintam cada vez mais satisfeitas com o lugar onde trabalham. “Entre tantos benefícios, destacamos a folga no dia do aniversário, o dia da fruta, ginástica laboral e ioga. Também colocamos bicicletas à disposição dos funcionários, licença maternidade estendida e biblioteca”, explica Graciele Milan, coordenadora de RH da Allog.

Conforme Graciele, o processo de inspirar pessoas não está apenas ligado aos benefícios que a empresa oferece, mas a todas as práticas culturais e de gestão. “Inspirar pessoas é falar com transparência e escutar com sinceridade, desenvolver, cuidar e agradecer”, diz. Tendo como base esses pilares, os colaboradores têm orgulho do que fazem e se identificam com o ambiente. “Mais do que ouvir, é olhar atentamente e identificar as práticas da organização. É criar um senso de pertencimento e o algo a mais que todos procuram na profissão”, finaliza.

Mais artigos

Países inusitados estão na pauta das exportações brasileiras

China, Estados Unidos, Argentina, Holanda e Japão são alguns dos principais compradores dos artigos “made in Brazil”. Mas o país também manda seus produtos para países inusitados como Camboja, Romênia, Finlândia, Ilhas Fiji, Estônia, Madagascar, Sri Lanka e Benin, entre outros. A lista de produtos exportados para estes países inusitados é variada. Nas operações realizadas

Pêra Manca: o vinho que animou navegadores

Você já ouviu falar do vinho Pêra Manca?  A história da importação do vinho no Brasil está diretamente ligada à chegada dos portugueses, em abril de 1500. Os historiadores estimam que os primeiros vinhos portugueses, produzidos com uvas plantadas ao longo dos vales do Sado e do Tejo, datem de pelo menos 2.000 a.C. e

Rolar para cima
Previous
Next