Copa do Mundo de 2026 terá a participação de 48 seleções

Compartilhe esse artigo

A Copa do Mundo de 2026 terá ao menos dois componentes inéditos e especiais. Será a primeira disputada em três países (Canadá, Estados Unidos e México) e também a primeira a reunir 48 seleções e não mais com 32, como ocorre até os dias atuais.

No Canadá, as cidades sedes serão Vancouver e Toronto. No México, as partidas serão disputadas em Guadalajara, Monterrey e Cidade do México. Já nos Estados Unidos, as seleções jogarão em Seattle, São Francisco, Los Angeles, Kansas City, Dallas, Atlanta, Houston, Boston, Filadélfia, Miami e Nova York.

Copa do Mundo de 2026

Com o novo número de seleções participantes, os jogos da Copa do Mundo de 2026 aumentarão de 60 para 80, mas o número de partidas necessárias para ser campeão continuaria o mesmo: sete. O novo formato terá uma primeira rodada de 16 grupos com três equipes, das quais duas vão se classificar para a segunda rodada com 32 equipes. Daí em diante, será uma disputa tradicional de mata-mata.

Primeira Copa: 13 equipes

A primeira Copa da história, realizada em 1930, no Uruguai, contou com apenas 13 equipes. Em 1934, o número de seleções passou a ser de 16. A partir da Copa da Espanha, em 1982, o número de seleções passou para 24 e, somente a partir de 1998, que 32 seleções passaram a disputar o título da Copa do Mundo.

>>> Mulheres na arbitragem: catarinense é a primeira brasileira na Copa.

Naquele ano, as vagas foram divididas pelas seis confederações de futebol representando todos continentes. A partir 2026, com 48 seleções, cada continente ganhará mais vagas na Copa.

A divisão de vagas para Copa do Mundo de 2026 ficará assim:

UEFA (Europa): De 13 para 16 vagas
CAF (África): De 5 para 9 + 1 na repescagem
AFC (Ásia): De 4 para 8 vagas + 1 na repescagem
Conmebol (América do Sul): De 4 para 6 vagas + 1 na repescagem
Concacaf (Américas Central e do Norte): De 3 para 6 vagas + 1 na repescagem
OFC (Oceania): De zero para 1 vaga + 1 na repescagem

Copa do Mundo de 2026

Mais artigos

Blog

Exportação de tabaco: Brasil se mantém na liderança mundial desde 1993

A exportação de tabaco brasileiro alcançou 549 mil toneladas em 2019, com uma movimentação financeira de US$ 2,14 bilhões, consolidando o Brasil como a potência mundial no setor. Do total, 85% das exportações de tabaco são feitas pelo Porto de Rio Grande, no Rio Grande do Sul. Os outros 15% saem de portos localizados no

Blog

Frete aéreo: principais vantagens na logística internacional

Quais as principais vantagens do frete aéreo na logística internacional? Em quais momentos ele é melhor do que o frete marítimo? Como identificar prós e contras do modal? Um importador ou exportador conta com diferentes opções de transporte de mercadorias e todos têm seus próprios benefícios. O frete aéreo é frequentemente usado para remessa de

Rolar para cima
Previous slide
Next slide