Vinho: Marketing e logística planejada ajudam a ampliar consumo

Compartilhe esse artigo

Com um mercado do vinho e espumantes ainda incipiente e um consumo per capta pequeno se comparado a outros tantos países, o Brasil ainda tem muito para desenvolver no setor vitivinícola. Cada vez mais profissional e competitiva, no entanto, a estratégia de marketing focada no relacionamento com o cliente tem ajudado a aumentar a venda da bebida no país.

Vinho

Nosso consumo per capita é inferior a 2 litros/ano, muito baixo se comparado com nossos vizinhos Chile e Argentina. “Infelizmente o Brasil não tem uma cultura de tomar vinho. Há regiões que consomem menos, como o Norte do país, muito por ainda relacionarmos vinho com dias frios. No entanto, nada te impede de beber um vinho mais geladinho, seja rosé, branco ou até mesmo tinto”, destaca Raphael Pugliesi, head of branding da Evino, empresa que busca se transformar no maior  e-commerce do vinho do Brasil.

Para aumentar os números e pensar no futuro, o segredo está na forma como o setor enxerga os consumidores. “As pessoas acham que vinho é chique e especial. A Evino, por exemplo, enxerga o vinho como uma bebida para qualquer ocasião. Por isso importamos vinhos que cabem no bolso do brasileiro”, destaca Raphael.

Estratégias de marketing

Países como a Argentina, quem tem um consumo e um mercado de vinho consolidado, apostam em estratégias de marketing mais agressivas para estimular o consumo e aumentar a presença no exterior das marcas nacionais. Desde 2011, o país promove o Malbec Day, realizado em mais de 70 países, sempre em 17 de abril. No Brasil, o público é convidado a participar de degustações em diferentes regiões do país.

Os maiores desafios do Brasil para aumentar o consumo, no entanto, são driblar mitos da bebida e os altos impostos. “A partir deles começamos a enxergar uma série de barreiras. Uma delas é o clima tropical (acham que vinho é para dias frios), a cerveja acessível, entre outros”, comenta Raphael.

Mercado digital e a logística

O mercado digital, por sua vez, pode ajudar a mudar este cenário. Além de tornar o vinho mais acessível (economizando com custos de ponto físico), ele traz mais novidades. Também traz comodidade (pois possibilita receber várias garrafas em casa) e gera conhecimento sobre o assunto. “Afinal, num mercado você só vê a garrafa. No nosso site, há uma ficha técnica sobre o produto”, pontua.

A eficiência da logística também tem papel importante para o aumento do consumo de vinho entre os consumidores brasileiros. Conforme Natália Chaves, coordenadora de Comércio Exterior da Evino, trabalhar com uma empresa com expertise de logística internacional traz tranquilidade e segurança “pois sabemos que a carga chegará sem danos e no timing correto para abastecer as campanhas”. Além disso, a logística bem planejada ajuda a manter os preços e a cumprir o lead time das campanhas.

 

vinho

Mais artigos

Duimp e o Novo Processo de Importação
Geral

Duimp e o Novo Processo de Importação: Allog lança novo e-book

A biblioteca de livros online do Grupo Allog com conteúdos relevantes sobre a Logística Internacional acaba de ganhar um novo reforço: o e-book sobre Duimp e o Novo Processo de Importação. A publicação traz as principais alterações ligadas às atividades de registro, acompanhamento e controles administrativos, aduaneiros e fiscais linkadas ao Portal Único de Comércio

Geral

Semana Cultural Allog traz debate sobre o Comex ao ambiente corporativo

Meio ambiente, governança corporativa, importação de matéria-prima para medicamentos e produtos acabados, biodiesel e derivados, mercado interno e externo. Esses são alguns dos temas abordados durante a 6ª Semana Cultural Allog, de 16 a 19 de agosto, e que neste ano volta a ser realizada de forma presencial.   Realizada desde 2016, a Semana Cultural

Rolar para cima
Previous slide
Next slide